Cone com Sonda de Interface de Membrana (MIP)

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O cone com sonda de interface de membrana (MIP) está concebido para delinear e caracterizar contaminação em locais potencialmente poluídos. A sonda está equipada com uma placa aquecida, sobre-elevada, por detrás da ponteira; a placa aquecida volatiliza os Compostos Orgânicos Voláteis (VOCs) no solo, passando estes por uma membrana semi-permeável também instalada na sonda.

Um fluxo de nitrogénio passa por trás da membrana carregando consigo os componentes voláteis conduzindo-os a uma série de detectores: Detector de Conductividade Electrolítica Seca (DELCD), Detector por Ionização de Chama (FID) e Detector de Fotoionização (PID). A Conductividade Eléctrica do solo é também medida.

A existência de vários sensores proporciona a caracterização dos VOC em função da sua resposta relativa a cada um; esta resposta é visualizada e medida em tempo real permitindo uma flexibilidade sem paralelo e uma adaptação imediata às condições do terreno, sem a necessidade de visitas posteriores.

Esta metodologia permite uma caracterização dos solos potencialmente poluídos sem a necessidade de extracção de quaisquer amostras de água ou solo, reduzindo assim, consideravelmente, o risco para os operadores. Por outro lado, o feedback instantâneo proporcionado pela sonda MIP permite uma decisão informada rápida sobre a necessidade de posteriores colheitas de amostras para uma eventual mais completa caracterização laboratorial, permitindo desta forma ganhos significativos de tempo e dinheiro.