Piezocone

Piezocone Diagram

O Ensaio CPT com Piezocone, também denominado de CPTu ou PCPT, é executado como os demais ensaios CPT através da cravação contínua no solo de um cone e medição simultânea da resistência de ponta, resistência lateral, inclinação e pressão intersticial. A adição da medição da pressão intersticial permite uma determinação mais fidedigna do tipo e estratificação do solo quando comparado com uma ponteira de CPT standard (que apenas mede a resistência de ponta e lateral), proporcionando uma melhor interpretação das propriedades mecânicas dos solos.

O ensaio com Piezocone e a medição das pressões intersticiais é realizado com a colocação de um filtro poroso numa de 3 posições possíveis no cone; a localização mais comum para o filtro poroso é na ponta (u1) ou na base (u2) da ponteira, ou, menos frequentemente, na traseira da luva de fricção. A Lankelma usa filtros em forma de disco fabricados num material durável à base de cobre, entretanto saturados num fluido de silicone para retirar todo o ar. Um filtro saturado é então colocado no cone também previamente saturado (em geral numa câmara de vácuo), normalmente na posição u2. Após cada ensaio CPT o filtro é substituído e o sistema de medição de pressões intersticiais (cone) é novamente saturado; esta metodologia tem-se mostrado a mais adequada melhorando qualitativa e quantitativamente as medições das pressões intersticiais.

Os ensaios CPTu são um requerimento standard nomeadamente nas campanhas de prospecção geotécnica em ambiente aquático, com os resultados a terem uma aplicação directa nos projectos de fundações indirectas, nomeadamente no dimensionamento de estacas; podem ainda ser relacionados com outros ensaios CPT especializados, por exemplo de índole ambiental, como o MIP (Sonda de Interface de Membrana).

Ensaios de Dissipação

Os ensaios de dissipação medem o declínio das pressões intersticiais num dado período de tempo. Com o avanço do cone no terreno, as pressões intersticiais acumulam-se em torno da ponteira, sendo medidas pelo elemento poroso. Durante os ensaios de dissipação, a penetração da ponteira no terreno é suspensa, procedendo-se ao registo do abaixamento dos valores das pressões intersticiais in situ. Por regra, o ensaio de dissipação decorre até se verificar um declínio de 50% no valor das pressões intersticiais iniciais (t50); tal permite o cálculo de paramentos geotécnicos com vista à determinação das propriedades de assentamento dos solos. Os ensaios de dissipação são úteis para a compreensão de como um solo se irá comportar quando sujeito a elevadas cargas de superfície, tenham estas origem em estruturas construídas, aterros, ou outras.

Os ensaios de dissipação podem ser realizados em qualquer momento durante a execução de um ensaio CPTu sem ser necessário equipamento extra. Acresce que os resultados são obtidos instantaneamente permitindo uma tomada de decisão rápida no campo.