Entre em contacto connosco

Portugal

+351 918302679

Reino unido

+44(0) 1797 280050

E-mail

info@lankelma.com

Ir mais fundo em Londres

Terça-feira, Dezembro 19th, 2017

A combinação do nosso módulo de lubrificação com os cilindros hidráulicos autónomos provou ser inestimável num parque de estacionamento subterrâneo no centro de Londres, em Outubro.

Estávamos a trabalhar para a Geotechnical and Environmental Associates (GEA) e realizamos um único ensaio CPT com 26m de comprimento, utilizando o nosso módulo de lubrificação para ajudar à penetração nas Argilas de Londres (London Clay) por forma a atingir as unidades que lhe estão subjacentes. A equipa efectuou, no dia seguinte, 6 ensaios pressiométricos a 20m de profundidade.

” Os cilindro hidráulicos autónomos podem ser transportados na traseira de uma carrinha, o que nos permitiu realizar os ensaios num pé-direito tão baixo”, afirmou o Director Técnico Joe Hobbs, “mas foi o módulo de lubrificação quem realmente se destacou neste trabalho”.

O módulo de lubrificação usa água para formar uma camada lubrificadora que reduz a fricção entre as varas e o solo. O sistema provou ser particularmente eficaz nas Argilas de Londres onde já permitiu ensaios com mais de 40m de comprimento. O design do módulo é tal que a água é distribuída por trás do cone não tendo tendo desta forma qualquer efeito nas leituras nem na qualidade dos dados obtidos.

“Tipicamente, a profundidade máxima de penetração seria de 18-20m, com uma força de 18t, mas com a utilização do módulo de lubrificação atingimos facilmente os 30m com apenas 5t de força” comentou o Joe.

Matthew Penfold da GEA acrescentou: “os resultados preliminares dos CPT foram extremamente úteis ao fornecerem indicações sobre a base das Argilas de Londres e a natureza do Grupo Lambeth subsequente, tendo sido um guia fundamental para a definição dos trabalhos seguintes.

“As condições do subsolo foram confirmadas por um furo à percussão próximo, com a base das Argilas de Londres cerca dos 20m de profundidade e a transição no Grupo Lambeth, desde as camadas predominantemente argilosas no topo para areias muito densas, a coincidir com a mudança na resistência de ponta verificada nos ensaios”.